12 março, 2011

D.R.I. + Simbiose + Switchtense + Pussy Hole Treatment - Cacilhas

Dia 11 de Março foi dia de muito thrash e hardcore com os portugueses Pussy Hole Treatment, Switchtense, Simbiose e os norte-americanos D.R.I, no Revólver Bar em Cacilhas com casa cheia. Se o cheiro que melhor caracteriza o Gótico é o incenso, então o que melhor caracterizou o thrash e hardcore foi o do sovaco.
Os Pussy Hole Treatment começaram o concerto. É inevitável falar acerca do nome da banda. Até que ponto se consegue sacar gajas dizendo que se toca numa banda com este nome? Pelos vistos é bastante fácil, pois quase todos os elementos da banda estavam acompanhados. Se assim é, eu imagino o backstage dos PussyVibes. A banda pratica um punk-thrash-crust e é malta jovem mas, à excepção do vocalista que saltava que nem um gafanhoto, os restantes elementos da banda pareciam ter problemas de mobilidade. Já vi mais movimento num lar da 3ª idade.
A seguir subiram ao palco os thrashers Switchtense. É notória a influência de Slayer, de tal forma que até ficámos com a impressão que o guitarrista estava com uma doença estranha. Por seu lado, a doença do vocalista parece não ter cura, neste caso o síndrome de Tourette. Se cada vez que ele dissesse uma asneira houvesse um bip, todo o concerto seria um autêntico e longo feedback.
Os Simbiose debitaram a sua descarga crust com eficiência. Com um novo 2º vocalista, as vocalizações continuam como sempre foram: poderosas... e imperceptíveis. E ainda bem. Sinceramente, achamos injusto que os Simbiose tenham 2 vocalistas quando há ai bandas que não têm nem 1 como é o caso dos Type O Negative.
Finalmente foi a vez dos cabeças de cartaz. Sabemos que a banda é old-school e já estão velhos quando os elementos da banda estão a preparar-se para tocar e o vocalista está na bancada de vendas de t-shirts, sentado a beber cerveja, à espera que o chamem. Tocaram quase todos os clássicos, sendo que o tema mais pedido da noite foi “Violent Pacification”, que, curiosamente, também é o tema preferido de Kadafi.
Pensámos que D.R.I. não fosse aquele tipo de bandas que dissesse coisas do género “Vocês fazem-nos sentir em casa”, mas disseram-no. Mas no caso dos D.R.I. até faz algum sentido, uma vez que são do Texas e estavam a tocar em Cacilhas. Aliás, pouca gente sabe disto mas a capa do álbum “Thrash Zone” era para ser uma fotografia de um barco a atracar.

Em resumo, foi um bom concerto. Vamos às estatísticas:
- 10543 asneiras proferidas (das quais 2732 foram ditas só pelo vocalista de Switchtense)
- 1032 charros fumados
- 2, vá lá, 3 cigarros fumados
- 2325 copos de cerveja bebidos
- 2325 copos de cerveja entornados
- 0 sorrisos mostrados em palco por parte do vocalista e baterista de D.R.I.

Nota: Estamos ainda a aguardar da parte do Hospital Garcia da Horta, o nº de óbitos e as suas respectivas causas de morte, sendo que as mais prováveis são: vítimas de moshpit, vítimas do segurança ou vítimas de intoxicação sovacal.

3 comentários:

sergioleitao disse...

Mas quem é que escreveu este texto tão merdoso?

Laughbangers of Metal disse...

Foram 2 merdosos que estavam no concerto. Os únicos que não cheiravam a sovaco.

joaninha versus escaravelho disse...

:))